Inteligência artificial na saúde: entenda como está sendo utilizada

Inteligência artificial na saúde: entenda como está sendo utilizada

A tecnologia tem transformado a medicina de diversas formas, permitindo diagnósticos mais precisos e tratamentos inovadores. Entre as diversas vertentes tecnológicas, a Inteligência Artificial na saúde é uma das que mais se destaca.

Já existem muitas aplicações para a IA, sendo que cada vez mais pesquisas têm surgido todos os dias. Isso indica que o futuro dessa área é bastante promissor, com grandes possibilidades para pacientes, médicos e outros profissionais da saúde.

Mas como, de fato, essa tecnologia pode ser usada e quais são seus benefícios? Neste post, explicamos como funciona a inteligência artificial na saúde. Continue a leitura para saber mais!

O que é e como funciona a inteligência artificial?

Trata-se de um ramo de pesquisa da ciência da computação, que procura desenvolver mecanismos (hardwares e softwares) que reproduzam a capacidade humana de pensar. Por meio de códigos de computador e fórmulas matemáticas, é possível resolver problemas, analisar e processar informações.

A inteligência artificial foi desenvolvida ainda na década de 1950, após o surgimento do setor computacional no período da Segunda Guerra Mundial. No entanto, foi apenas com o aperfeiçoamento das máquinas e, principalmente, a capacidade de processamento de dados, que ela se tornou realmente viável. Afinal, hoje em dia, supercomputadores já conseguem analisar uma quantidade imensa de informações, transformando-as em novas.

Por isso mesmo, as possibilidades de uso são inúmeras, indo desde a indústria até o setor de serviços. É claro que, com tantos investimentos em pesquisas na saúde, não demoraria muito para que a IA passasse a ser usada também nesse setor.

Assim, os primeiros estudos com inteligência artificial na saúde foram desenvolvidos nos Estados Unidos, em lugares como o Massachusetts Institute of Technology (MIT). Rapidamente, a tecnologia despertou o interesse de outros países, como o Japão — que já se destacava pela robótica — e até o Brasil.

Como é possível aplicar a inteligência artificial na saúde?

Se comparada a outras tecnologias, a IA é bem recente. Portanto, ela ainda não atingiu todo o seu potencial. Pelo contrário, está bem longe disso. A verdade é que as aplicações podem ser variadas. De qualquer forma, separamos as que já vêm sendo usadas atualmente e têm apresentado ótimos resultados. Confira:

Diagnósticos precisos

O uso mais difundido da inteligência artificial na saúde é na medicina diagnóstica. Com ela, é possível obter resultados de exames com mais agilidade e precisão. As imagens podem ser comparadas com uma grande base de dados de casos semelhantes, o que aponta chances mais claras de ocorrência de doenças, como no caso do câncer e infecções.

Armazenamento de dados

Todos os dados gerados em consultas e procedimentos médicos podem ser armazenados e usados para a obtenção de melhores resultados e de aprimoramento técnico. Por meio do uso de ferramentas como supercomputadores e a cloud computing (computação em nuvem), há uma maior retenção dessas informações e a IA pode processá-las e analisá-las com mais rapidez.

Prontuários eletrônicos

Entre os dados que podem ser armazenados de modo mais inteligente estão as informações dos próprios pacientes. A otimização dos prontuários eletrônicos é um dos benefícios da inteligência artificial.

Tratamentos mais adequados

Mesmo os tratamentos podem usar essa tecnologia. Um software pode indicar, por exemplo, qual o tratamento mais adequado, com base na comparação com outros resultados de casos semelhantes. Além disso, há procedimentos cirúrgicos que utilizam robôs com inteligência artificial para auxiliar os médicos.

Previsão de problemas

A análise de dados por softwares inteligentes pode permitir a previsão de desastres naturais, epidemias e outras ocorrências que oneram o sistema de saúde. Assim, é possível que o governo e os hospitais se preparem melhor para esses problemas.

Combate a endemias

Epidemias e endemias, como dengue e a febre amarela, podem ser melhor combatidas com o resultado do processamento de dados. Dá para verificar o crescimento do número de casos, demarcar a área de abrangência, além de obter outras informações úteis para direcionar os esforços públicos.

Quais os benefícios de se usar esse tipo de tecnologia?

Com todas as aplicações listadas acima e todas aquelas que ainda estão por vir, não é por acaso que a cada dia se investe mais na inteligência artificial na saúde. Veja os principais benefícios:

Velocidade de processamento

Muitas coisas que usam softwares inteligentes poderiam ser feitas sem eles, com resultados semelhantes. No entanto, a atividade poderia demorar anos, ou mesmo, décadas. É o caso da demarcação de áreas endêmicas, por exemplo.

Mais precisão

Da mesma forma, seria necessário aplicar cálculos complexos e que, ainda assim, poderiam levar a resultados imprecisos. Com uma grande capacidade de processamento e uma enorme quantidade de dados disponíveis, a inteligência artificial é capaz de fazer diagnósticos e previsões com quase 100% de precisão.

Otimização de processos

Além disso, seria necessário empregar diversas pessoas e máquinas para realizar o esforço de um único software. Dessa forma, os processos podem ser otimizados e esses recursos empregados de outra maneira.

Maior base de dados

A IA permite, ainda, que se armazene cada vez mais dados em espaços menores. Mais do que isso, ela facilita a organização das informações, sendo mais simples acessá-las. O próprio software encontra o que se deseja no meio de uma base de dados grande e complexa.

Rápido aprimoramento

Por fim, outra grande vantagem da inteligência artificial na saúde é a sua capacidade de se aprimorar. É o chamado machine learning, ou seja, a propriedade que a IA tem de aprender com a sua atuação e os dados processados por ela.

Com isso, os tratamentos e as próprias tecnologias podem ser desenvolvidos e melhorados com muito mais rapidez. Trata-se de uma grande revolução, tendo em vista que as inovações na medicina podem demorar muito tempo para se tornarem efetivas.

Enfim, parece que a inteligência artificial na saúde é algo muito distante, mas não é! Pelo contrário, já existem diversas ferramentas com essa tecnologia que podem ser utilizadas por clínicas e centros de saúde menores. É o caso de softwares de gestão em nuvem, com alta capacidade de armazenamento e processamento de dados. Vale a pena conhecer!

Gostou de saber como utilizar a inteligência artificial na saúde? Quer entender melhor sobre o assunto? Então, veja também por que a tecnologia tem sido um diferencial na medicina!

Dê-nos sua opinião