Como fazer e gerenciar o credenciamento médico de planos de saúde?

Como fazer e gerenciar o credenciamento médico de planos de saúde?

Credenciamento médico, quando pensamos em mercado econômico, é impossível desconsiderar a dificuldade que os profissionais têm para efetivar sua inserção profissional. Na área da saúde, isso não é diferente: médicos com formação ou especialização recentes, por exemplo, também encontram dificuldades para atrair mais pacientes e iniciar sua carreira.

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar, há aproximadamente 47,4 milhões de brasileiros que possuem planos de saúde. Portanto, esse tipo de serviço é uma excelente opção para aqueles que precisam de maior visibilidade profissional.

Quer saber como é feito o credenciamento médico em um plano de saúde? É sobre isso que falaremos a seguir.

Como escolher o plano ideal?

Antes de partir para as decisões, é fundamental que os profissionais reconheçam suas dificuldades, o perfil de atendimento da clínica e as soluções buscadas para os impasses.

Geralmente, o processo inicia quando é identificada a necessidade de aumentar o número de pacientes atendidos no consultório ou clínica. Após essa etapa, é feita uma análise completa dos planos disponíveis a fim de determinar aqueles que possuem maior afinidade com o perfil do solicitante.

Nesse momento, é de suma importância se atentar para questões contratuais, principalmente as que envolvem o aspecto financeiro diretamente. Dessa forma, o profissional reduz a chance de futuros problemas econômicos e evita dores de cabeça, além de preservar sua imagem no mercado.

Para auxiliar nessa tarefa, é interesse entrar em contato com outros profissionais que fazem o uso do serviço escolhido, buscando a troca de informações e experiências acerca do plano. Também é fundamental a contratação de um advogado para lidar com as questões burocráticas.

Feita a escolha, o profissional deve formalizar seu interesse por meio de uma ficha fornecida pelo próprio plano. Depois, é hora de organizar a documentação exigida.

Embora seja uma tarefa que causa receio em grande parte dos profissionais, não é preciso temer essa etapa. Veja a seguir o que compõe a papelada exigida e como tornar mais fácil essa missão!

Qual é a documentação necessária?

Essa talvez seja a parte mais temida pelos médicos, uma vez que exige certo conhecimento de gestão para cumprir com a burocracia exigida.

Vale ressaltar que os documentos solicitados podem variar de acordo com o plano escolhido. Os principais são:

  • cartão do CNPJ mais recente;
  • contrato social ou ata de constituição do estabelecimento;
  • inscrição, junto à prefeitura municipal, do CCM ou ISS;
  • número de cadastro no CNES;
  • comprovante de pagamentos — ISS e Taxa de Fiscalização de Estabelecimento;
  • comprovação do registro no CRM ou CRO;
  • alvará da Vigilância Sanitária atualizado;
  • relação dos profissionais que compões a equipe;
  • currículo, diploma, CRM ou CRO, CPF e título de especialização do médico responsável pelo estabelecimento;
  • conta bancária para realização dos pagamentos.

Reiteramos que existe a possibilidade de os planos exigirem documentos complementares aos citados, uma vez que podem ser solicitações específicas daquela instituição.

Por fim, é preciso ficar alerta às datas de renovações contratuais. Quando necessário, a empresa deve ser novamente contatada para instruir melhor sobre esse processo.

Agora que você já sabe como concluir o credenciamento, vamos conferir os benefícios que você poderá desfrutar das operadoras.

Quais são as vantagens do credenciamento médico?

Vimos anteriormente que o credenciamento em planos de saúde amplia a visibilidade no mercado de trabalho. Portanto, essa é uma opção interessante para aqueles profissionais que precisam iniciar a formação de clientela ou até mesmo aumentar a que possui.

De modo geral, o credenciamento médico é uma excelente alternativa não apenas para profissionais recém-formados ou recém-especializados, mas também para aqueles que vão iniciar seus atendimentos em uma nova cidade, por exemplo. Embora o faturamento proporcionado pelo plano seja inferior ao obtido apenas com consultas particulares, o volume de pacientes vai aumentar, cumprindo-se assim o objetivo de estabelecer uma clientela.

Ficou com receio ao ver que o faturamento pode ser inferior? Não se preocupe! Mostraremos a seguir quais são as práticas que auxiliam no controle financeiro relacionado aos planos de saúde.

Como fazer o planejamento de gastos após o credenciamento?

Solicite o embolso dos valores

Para que a operadora faça o pagamento dos serviços prestados pelo médico, é necessário solicitar o embolso por meio de um formulário. Nesse ponto do processo podem ocorrer muitas falhas, dificultando ou até mesmo impossibilitando o recebimento.

Para evitar que isso aconteça com você, o requerimento precisa ser rigorosamente preenchido da maneira correta. Caso contrário, ocorre o que é chamado de glosa médica, ou seja, o não pagamento, por parte dos planos, dos valores referentes aos serviços e atendimentos prestados pelo médico.

Toda a equipe do local deve conseguir inserir os dados no formulário de corretamente. Portanto, o ideal é que sejam realizados treinamentos que capacitem todos aqueles que precisarão preencher o requerimento algum dia.

Conte com uma reserva emergencial

Após solicitado o pagamento pelos serviços, tenha em mente que ele não é autorizado de imediato: o retorno financeiro dado pelos planos demora, em média, 60 dias para conclusão.

O ideal é que o responsável pela administração das finanças destine determinada quantia para reservas emergenciais. Isso evita que o consultório ou a clínica entre numa situação de prejuízo e ameaça de falência, seja pela demora no recebimento dos valores ou pelas possíveis glosas médicas.

Faça a manutenção do setor financeiro

Feito isso, é preciso realizar a manutenção constante do setor financeiro local. Essa prática consiste em acompanhar todas as entradas e saídas de valores, estabelecendo metas a serem cumpridas e formulando estratégias para crescimento da empresa.

Uma vez realizado o acompanhamento adequado do aspecto econômico, é possível tornar mais eficiente os investimentos feitos pelo consultório. Assim, caso perceba-se um gasto excessivo em determinado setor, é adequado que os valores sejam redistribuídos e destinados ao que for de maior necessidade.

Conte com um software de gestão especializado

Você pode achar que as medidas citadas são muito complexas e de difícil aplicabilidade, mas não se assuste! De fato, elas exigem atenção e rigor para seu cumprimento, mas todo o processo pode se tornar muito simples quando utilizado um software de gestão.

O uso de um sistema proporciona maior facilidade e eficiência na administração do consultório. Com ele, é possível acompanhar as finanças e organizar os dados de maneira segura.

Outra vantagem é a garantia de credibilidade no preenchimento dos formulários exigidos pelo plano de saúde. Dessa forma, há considerável redução das glosas médicas e, consequentemente, menor impacto negativo no faturamento.

Vimos nesse post como é feito o credenciamento médico em um plano de saúde, englobando desde o momento da escolha até as consequências que essa parceria pode gerar. Além disso, percebemos que ao optar também por um software, há maior garantia de retornos financeiros positivos para o estabelecimento.

Você acha que esse processo é utilizado apenas em consultórios médicos? Então clique aqui e se surpreenda com outra aplicabilidade do software de gestão!

Dê-nos sua opinião