Saiba como estabelecer uma boa relação médico paciente!

Quando uma pessoa procura um serviço de saúde, geralmente, ela se encontra em estado frágil e em um momento sensível. Por isso mesmo, é muito importante que a relação médico paciente seja estabelecida com o objetivo de oferecer mais confiança no trabalho do profissional e possibilitar a atenuação do sofrimento humano.

Saiba como estabelecer uma boa relação médico paciente!

Quando uma pessoa procura um serviço de saúde, geralmente, ela se encontra em estado frágil e em um momento sensível. Por isso mesmo, é muito importante que a relação médico paciente seja estabelecida com o objetivo de oferecer mais confiança no trabalho do profissional e possibilitar a atenuação do sofrimento humano.

De fato, não são poucas as reclamações das pessoas em relação a alguns médicos. A maioria dos questionamentos vão desde a impessoalidade no atendimento, a atrasos de horários para a consulta marcada. Além de prejudicar a reputação do profissional, essas queixas podem afastar pacientes e oportunidades de trabalho.

Neste post, separamos algumas dicas de como estabelecer uma relação médico paciente bem-sucedida. Continue a leitura e descubra como atender e fidelizar mais pacientes!

Evite atrasos nas consultas

É importante destacar que a pontualidade é essencial na vida de qualquer profissional. Afinal, ninguém gosta de ficar esperando. Além de desagradável, os atrasos podem ocasionar a perda de pacientes.

Todo mundo sabe que imprevistos podem acontecer. No entanto, o atraso deve ser exceção, não uma regra. Tente se programar para chegar com pelo menos 15 minutos de antecedência no consultório.

Para ajudar, mantenha a sua agenda sempre organizada, com pequenos intervalos entre um compromisso e outro. Caso use um sistema de agendamento eletrônico, ele mesmo pode enviar lembretes antes de cada compromisso.

Ouça o paciente com atenção

A relação médico paciente não pode ser unilateral, em que o profissional toma conta de toda a consulta. O ideal é que haja uma conversa de verdade, com uma boa troca de informações entre as duas partes.

Por isso, sempre escute com muita atenção todas as reclamações dos pacientes. Espere que a pessoa diga a você o que está sentindo, fazendo perguntas para ajudá-la a descrever o problema. Lembre-se que não basta ouvir as palavras, é necessário buscar compreendê-las.

No momento de escuta do paciente, a empatia pode ser importante, já que é preciso exercitar a capacidade de se colocar no lugar das pessoas. Entender o contexto de vida, e as questões físicas e emocionais é uma das formas de não julgar os pacientes ou menosprezar o que eles sentem.

Seja claro e objetivo

Quando for a sua hora de falar, procure usar uma linguagem simples e didática. É bom lembrar que o paciente não tem o mesmo entendimento que você sobre doenças e formas de tratamento.

Se você não explicar tudo de uma forma que a pessoa compreenda, pode ser que ela nem mesmo siga suas recomendações. O fato é que quanto mais claro e objetivo você for, mais o seu paciente vai entender e aderir a sua abordagem.

Isso também vale para a receita médica. A tradicional letra de médico incompreensível pode prejudicar a adesão do paciente. Portanto, procure escrever o mais legível possível ou use um sistema digitalizado para a prescrição.

Respeite o paciente

Outro ponto fundamental na relação médico paciente é não ser arrogante. As pessoas não devem ser tratadas como ignorantes, sem conhecimento nenhum ou como se precisassem ser protegidas de uma verdade mais dolorosa.

Com a facilidade de acesso à informação, isso pode ser até bem difícil hoje em dia. Qualquer um pode procurar os sintomas na internet e buscar o médico já acreditando que tenha alguma doença.

Para saber a maneira adequada de conversar com o paciente, basta ouvi-lo antes e perceber o quanto ele entende do próprio problema. O melhor é sempre buscar falar a verdade, de maneira simples e clara, de modo que o paciente possa entender.

Considere o estado emocional

Ser claro e objetivo não significa ser frio. Dependendo do estado emocional do paciente, é muito importante lidar com ele de forma cautelosa, sabendo o que pode ser dito e quais palavras usar.

Em casos mais graves, é preciso ter cuidado para não dar diagnósticos alarmistas e sem confirmação. Por isso, é bom pedir todos os exames necessários para confirmar uma doença antes de antecipar um prognóstico que possa ser doloroso.

Se for necessário, espere um momento em que o paciente esteja mais calmo para dar uma notícia ruim. Depois, tente falar com firmeza, de modo a transmitir tranquilidade e segurança para ele e os familiares.

Procure envolver a família na relação médico paciente

A família pode ser uma grande aliada na relação médico paciente, pois os familiares podem ajudar a acalmar uma pessoa, além de acolhê-la de uma maneira mais pessoal.

Apenas tenha o cuidado de lidar com a família com a mesma clareza, objetividade e segurança mencionadas acima. Em casos mais complexos e difíceis, lembre-se que a relação médico-paciente também deve se estender a família, já que ela pode ser o principal apoio do paciente nesse período.

Desta forma, se for necessário, tente conversar primeiro com os familiares e tire todas as dúvidas deles. Só depois fale com o paciente, de modo que a família já esteja preparada para oferecer um suporte emocional nesse momento.

Adote um atendimento humanizado

O atendimento humanizado está se tornando cada vez mais comum em hospitais e clínicas pelo mundo. A humanização tem se mostrado uma forma capaz de melhorar a relação médico paciente e de tornar os tratamentos mais eficientes. Ouvir com atenção, falar com clareza e respeitar os doentes e seus familiares pode ser uma forma de proporcionar mais saúde às pessoas, nessa forma de atendimento.

Outro ponto a favor do atendimento humanizado é o uso da tecnologia. Ao adotar algumas ferramentas, como um software de gestão, sistemas inteligentes e equipamentos modernos, você contribui para aumentar a eficiência no atendimento e a comunicação com seus pacientes.

Portanto, é possível perceber que a relação médico paciente funciona melhor quando se busca algo além de um diagnóstico preciso e um tratamento eficaz. Ela deve se basear na busca constante pela excelência técnica aliada à construção de um bom relacionamento com as pessoas. Para isso, desde questões simples, como a pontualidade, até as mais complexas, como um atendimento humanizado podem ajudar a fortalecer esse vínculo.

Gostou de saber como criar uma boa relação médico paciente? Então, compartilhe o post nas redes sociais!

Dê-nos sua opinião