Capital de giro: como não deixar a sua clínica no vermelho?

fevereiro 23, 2022

Sem dúvida, ter um consultório ou clínica médica demanda muito investimento e dedicação. Para além dos investimentos iniciais, existem muitos outros que devem ser levados em consideração durante o funcionamento do espaço. É nesse cenário que entra o capital de giro.

Mas afinal, você sabe o que é o capital de giro?

De forma simplificada, o capital de giro diz respeito à quantidade de recursos financeiros necessários para manter sua clínica funcionando. Ou seja: o dinheiro que você precisa ter mensalmente para abrir as portas.

Essa verba fala sobre o pagamento dos funcionários, manutenções recorrentes e outras questões similares previsíveis e imprevisíveis. É, literalmente, o que é preciso para a clínica trabalhar.

Como calcular o capital de giro?

Para calcular o capital de giro, é necessário separar alguns custos. O primeiro é o que chamamos de passivo circulante: os custos básicos e recorrentes da sua clínica.

Sabendo disso, o passo seguinte é separar os seus recebimentos, que vão além do dinheiro que a clínica tem em caixa, mas também de investimento, de resgate rápido, fontes de receita de alta liquidez e outros.

As receitas de alta liquidez, como o dinheiro da clínica em conta corrente e poupança, valores a receber, investimento e outros, chamamos de ativo circulante.

Sabendo os valores do passivo e ativo circulante, é necessário fazer uma conta bem simples:

Ativo circulante (incluindo o estoque) – passivo circulante.

O resultado da subtração é a quantia ideal que você precisa ter no giro de estoque.

Por que minha clínica precisa de um capital de giro?

Ter um capital de giro é fundamental, já que é a verba destinada para garantir o funcionamento da clínica ou consultório. Portanto, ter essa verba garante que o espaço esteja preparado em casos imprevistos, além de garantir o enfrentamento de desafios.

Com um capital de giro adequado, a clínica tem verba suficiente para suprir uma demanda inesperada, por exemplo, já que tem um dinheiro guardado para o funcionamento do espaço. 

Outro fator importante relacionado à essa verba está no controle que ela oferece. Quando a clínica possui o capital de giro, os gestores têm maior controle sobre o espaço e os gastos, além de evitar tirar dinheiro de outras áreas para suprir as demandas necessárias atuais.

Caso precise realocar a verba de uma outra área devido à ausência da verba adequada, os gestores contam com inúmeros prejuízos, que afetam não apenas um setor, mas sim a clínica como um todo.

De forma recorrente, quando não há capital de giro e controle financeiro, a clínica pode ir à falência.

Os benefícios da boa gestão financeira

Com um capital de giro adequado e o controle financeiro, é possível garantir grandes benefícios para o funcionamento da clínica. O primeiro, obviamente, é estar amparado em casos emergenciais que envolvam gastos.

Mas, para além de imprevistos, o capital de giro traz uma saúde financeira sem igual para a clínica. Isso porque ele envolve todas as questões, do fluxo de caixa à poupança e investimentos. Tudo está sob o controle dos gestores.

Isso permite com que o espaço trabalhe sem maiores problemas financeiros, garantindo a tranquilidade de custos e a maior facilidade dos processos.

Por fim, para garantir que o giro de estoque seja feito de maneira precisa e correta, conte com o software SimDoctor! Pensado para clínicas médicas, ele contribui na gestão clínica diária e traz grandes benefícios de funcionalidade e rapidez para o dia a dia!

Entre em contato e saiba mais!

Mais notícias